MITOLOGIA COREANA – HAETAE / HAECHI (해태) UM SÍMBOLO DE JUSTIÇA


Mestre e guardião do fogo, o Haetae (해태, muitas vezes escrito Haitai ou Haechi) assemelha-se a um cão com uma juba de leão, bastante similar aos cães de Fogo da China. Saiba mais sobre a história e os simbolismos dessa criatura na Coreia.

De acordo com registros coreanos, o corpo de um Haetae tem a forma de um leão com um chifre (ou dois) na testa (semelhante ao unicórnio) usado para punir aqueles que cometeram o mal. Tem um sino no pescoço, e o corpo é coberto com escamas e penas (como se fosse a forma combinada de um leão, ovelha e unicórnio).
Ainda segundo esses registro, o Haetae vive nas áreas fronteiriças da Manchúria e possui muitos poderes, como a capacidade de parar, retroceder ou avançar rapidamente através do tempo. Esta criatura incomum também pode morder a lua, explicando o período de declínio da lua, e também criar um eclipse.
Haetae é muitas vezes visto fora e dentro de casas e palácio coreanos, colocado como poderoso guardião contra elementos mais destrutivos da Terra. Essa criatura mítica simboliza a justiça e a prevenção de incêndios e desastres.
Na antiga Coreia, as esculturas Haetae foram usadas na arquitetura durante a dinastia Joseon (1392-1910), já que sua imagem era confiável para poder proteger Hanyang (agora Seul) de desastres naturais e para dar lei e ordem entre a população. A cidade de Seul usou oficialmente Haechi (origem de Haetae) como o símbolo de Seul desde 2009,  tornando-se assim figura oficial icônica da capital coreana.
Essa criatura mítica é conhecida por ter-se originado na China e mais tarde introduzida na Coreia; na China é conhecido como Xiezhi; já no Japão ele é conhecido como Kaichi (獬豸).
Da esquerda para direita, Kaichi no Japão, Xiezhi na China e Haetae na Coreia.
Há uma história bem conhecida do Haetae, a respeito de Gwanghwamun, que é o portão principal do Palácio Gyeongbukgung, em ambos os lados do portão você pode ver a palavra “Haetae” virado ao sul. De acordo com Pungsujirisang, houve um incêndio em torno da montanha Gwanaksan que fica em torno do local; a fim de proteger o palácio, estes Haetaes (que se acredita, comem fogo) foram colocados ao lado do portão.
Foto da esquerda, portão Gwanghwamun no início dos anos 1900, foto da direita, nos dias atuais.
A imagem da criatura mítica Haetae evoluiu em muitas formas diferentes ao longo da história, confira abaixo o vídeo apresentando as diversas formas que o Haechi foi representado, organizado pelo comitê de Olimpíadas de Design de Seul, em sua exposição de esculturas denominada “Haechi”.


Fonte: (1)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.